Ministério da Saúde confirma 9 casos suspeitos de coronavírus em 6 estados
Notícia publicada em 29 de janeiro de 2020

Ministério da Saúde confirmou, nesta quarta-feira (29), nove casos suspeitos de coronavírus no país. São três casos em São Paulo, dois em Santa Catarina, um em Minas Gerais, um no Rio de Janeiro, um no Paraná e um no Ceará. De acordo com o novo boletim, já foram notificados 33 casos suspeitos de coronavírus no país, mas apenas nove estão em investigação. Os demais foram descartados ou excluídos, por não se enquadrarem nos pré-requisitos definidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Com a alteração da definição de casos suspeitos – desde ontem (28), todas as pessoas que chegaram da China e apresentaram sintomas respiratórios em cerca de 15 dias são considerados suspeitos -, o Ministério acredita que o número de notificações irá aumentar nos próximos dias. Anteriormente, o quadro só era considerado suspeito se a pessoa tivesse visitado a região de Wuhan ou tido contato com alguém infectado. Boletins da situação epidemiológica do coronavírus no Brasil serão publicados diariamente a partir desta quarta-feira.

Se houverem casos confirmados até o Carnaval, o Ministério afirmou que, inicialmente, não pretende adotar nenhuma medida radical. A principal recomendação será informar a população sobre como prevenir a infecção. Os cuidados são os mesmos do H1N1:  evitar contato próximo com pessoas com sintomas de infecção respiratória; lavar frequentemente as mãos com água e sabão e praticar a chamada “etiqueta da tosse” (manter distância ao tossir ou espirrar, usar um tecido para proteger a boca ou o nariz e lavar as mãos em seguida). Mas isso poderá ser revisto a qualquer momento. O ministério ressalta que, como estamos no verão, a probabilidade de circulação intensa do vírus no país, como acontece na China, é pouco provável.

Até o momento, apenas um laboratório faz o teste diagnóstico de coronavírus. Nos próximos dias, dois novos laboratórios ligados do governo serão habilitados a realizar os testes, o que irá aumentar a capacidade de análise de possíveis casos da doença.

Fonte: Revista Veja

Por Da redação – Atualizado em 29 jan 2020, 17h14 – Publicado em 29 jan 2020, 16h50